Pão de Macaco (Pão doce)




Durante minhas visitas ao Pinterest, vi por diversas vezes a imagem de um pãozinho doce que me enchia a boca d´água e de fácil execução, cujo nome me causou estranheza "Monkey Bread", que traduzindo para o português significa Pão de Macaco. As fotos contidas no blog americano eram "quase" autoexplicativas. Resolvi pesquisar e descobri que este pãozinho doce surgiu na década de 50, nos Estados Unidos e recebeu o este nome por que o seu formato "em gomos" se parece muito com a polpa de uma fruta africana, muito consumida pelos macacos.
É muito difícil executar a receita americana de forma fiel, devido não encontrar os mesmos ingredientes usados por lá, por isso, resolvi adaptar, fui buscando informações na internet e a receita que mais me agradou foi a do blog A Cozinha Coletiva, na qual me inspirei:

Massa 
50 g de manteiga sem sal derretida
1 xícara de leite morno
1/3 de xícara de água morna
1/4 de xícara de açúcar refinado
10 g de fermento biológico seco (um pacotinho)
3 e 1/4 de xícaras de farinha de trigo
2 colheres (chá) de sal

Ingredientes para montagem:
01 xícara de açúcar mascavo
03 colheres de chá de canela em pó
100 g de margarina derretida fria
1/3 de xícara de glucose de milho (Karo)

Cobertura
leite condensado a gosto

Modo de preparo:
Unte com margarina uma fôrma de bolo com buraco no meio e forminha para cupcake
Amorne o leite e a água [teste a temperatura: você precisa conseguir manter a ponta do dedo dentro da mistura por pelo menos 10 segundos sem se queimar]. Junte a manteiga derretida, o açúcar e o fermento e misture bem. 
Numa tigela grande (ou bacia), misture a farinha, o sal e adicione devagar a mistura de líquidos à farinha. Depois de incorporar todo o líquido mexendo com uma colher de pau, amasse com as mãos, sobre uma superfície enfarinhada, até obter uma massa lisa e brilhante.
Unte uma tigela com manteiga, forme uma bola com a massa, coloque dentro da tigela e cubra com plástico filme. Coloque a tigela em um local quente e abafado e deixe crescer por 50 a 60 minutos, até dobrar de volume.

Enquanto isso, prepare a cobertura de açúcar e manteiga: Misture o açúcar mascavo com a canela em um prato e reserve. Em uma tigelinha, coloque a manteiga derretida. Reserve também.

É hora de dar forma ao pão: 
Retire com cuidado a massa da tigela e passe para uma superfície enfarinhada. Amasse delicadamente e faça bolinhas com a massa de tamanho igual. Passe as bolinhas na margarina e depois na mistura de açúcar e canela, a seguir distribua as bolinhas nas fôrmas.
Cubra as fôrmas com um pano de prato grosso, seco e limpo, e deixe em local abafado por mais 1 hora, até as bolinhas crescerem e passarem da altura da borda. Regue a massa com a glucose de milho.
Em forno preaquecido a 180 graus, leve o pão para assar por 35 minutos, até que a superfície fique marrom escura e o caramelo comece a borbulhar nas beiradas.
Retire do forno, deixe esfriar nas fôrmas por 5 minutos e então vire-as, com cuidado, sobre um prato de servir [não demore para desenformar o pão, caso contrário o caramelo endurece, prendendo a massa na fôrma]. Regue os pães com leite condensado a gosto.
Sirva ainda morno.
Fica dos deuses....






Rocambole prestígio




Segunda-feira é um ótimo dia para publicar receitas. É bom para mim, que tive o final de semana inteiro para por em prática os dotes culinários.
A receita de hoje é extremamente fácil, os ingredientes não vão ao fogo, mas requer certa paciência na hora de misturá-los e abrir a massa. Mas chega de enrolação - sem trocadilhos - e vamos ao rocambole:

Ingredientes da massa
01 lata de leite condensado
2 e 1/2 xícaras de leite em pó
1 xícara de chocolate em pó
Recheio
01 lata de leite condensado
100 g de coco ralado
Misture estes ingredientes e reserve.
Misture o leite condensado com o leite em pó e o chocolate em pó. Amasse bem até ficar uma massa homogênea e que desgrude das mãos.

 Divida a massa em duas ou três partes. Abra a massa com um rolo sobre um plástico (de preferência um plástico grosso, tipo de saco de arroz).
Espalhe a mistura de leite condensado e coco ralado sobre a massa e enrole.



Leve os rocamboles à geladeira por 3 horas ou ao freezer por 01 hora. Depois é só cortar na espessura desejada e servir.
Caso queira um rolinho mais fino e pedacinhos menores, é só dividir a massa em mais partes. Eu dividi somente em duas partes e, portanto, fiz só dois rocamboles grandes.

Bom Apetite!


O coelhinho da Páscoa

Há quatro anos, na semana que antecede a Páscoa, recebemos uma visita muito esperada em nossas casas. O "Instituto Educacional Infantil Bela Infância de Dracena", escola em que a minha filha estuda desde os 07 meses de idade, promove a entrega dos ovos de chocolate na casa dos alunos. Tudo é previamente acordado entre os pais e muito organizado pela escola. As professoras se dividem em equipes e saem fantasiadas de coelhas pela cidade distribuindo os ovos em carros de som, fazendo a alegria (ou não) da criançada.
Todos os anos a Aimê ficou assustada e não quis nem saber de receber o ovo. Porém, ontem, ela me surpreendeu, e como ela mesma disse, tomou coragem e abraçou a coelha.
Agradeço a direção da escola por nos proporcionar momentos mágicos como estes.

2011 - 07 meses

2013 - 02 anos
No colo do avô, a Aimê não quis nem saber de olhar pra coelhinha, mas devorou o chocolate.

2014 - 03 anos
Dessa vez a coelha teve de entrar em casa para entregar o ovo e no colo do pai, a Aimê novamente chorou.


2015 - 04 anos
 Este ano, o avô foi novamente convocado para esperar o coelho e a recepção foi bem diferente dos anos anteriores.

Agora, só pra matar a saudade, tenho uma foto extra:




Retrospectiva das Páscoas


Recordar é viver!

E pensando nisso, resolvi relembrar as publicações aqui do “Olha o que eu sei fazer” referentes à Páscoa.


Em 2012, a festa foi grande e bastante esperada, montei um ninho típico para a coelha, com cestinha e palha, fiz tentei fazer um ovo com fios de linha e ficamos a espera dos ovinhos. A Aimê era pequenininha e curtia ver as pelúcias espalhadas pela casa. 
Nesse mesmo ano, ainda participei de um amigo secreto feito pelo blog Café e Cetim e dentre os presentes que mandei para a minha amiga oculta foram mini cenouras perfumas. Nem acredito que fiz isso. Se ficou interessada é só dar um pulinho no passado, clicando aqui e aqui.


No ano seguinte, em 2013, eu provavelmente repeti a decoração (kkkk), mas postei uma receita de pão de mel licoroso que é um espetáculo, para conferir chega mais aqui.


A Páscoa do ano passado (2014), foi salva por um bandô maravilhoso que a minha mãe fez pra mim, do contrário, teria as mesmas coelhas de pelúcia dos anos anteriores. Ah, eu até tentei fazer um coelho de lã, cujo passo a passo eu vi na net, mas o bicho ficou horroroso. Quer rir um pouco vai lá ver (link).


Bom, este ano eu nem preciso dizer que eu só coloquei o bandô na porta, né? Mas tá valendo... 
Hoje à noite, o clima lá em casa vai esquentar, a escola onde a Aimê estuda vai promover a entrega dos ovos de páscoa para os alunos, mas esta entrega é feita nas casas das crianças, com coelho gigante e carro de som. Amanhã tem novidade por aqui.
bjk   

"Nunca é tarde demais pra começar tudo de novo"

Quase seis meses se passaram...
Durante esse tempo, este espaço, que tanto amo, ficou abandonado, eu raramente passava por aqui...
De vez em quando, muito de vez em quando mesmo, eu visitava uma amiga ou outra.
Eu estacionei, parei com tudo... até a criatividade foi-se embora, sumiu, escafedeu...
Eu poderia contar a minha história, tudo o que aconteceu, dar várias justificativas, mas nada vai recuperar esse tempão que passou em branco.
Confesso que embora ausente, eu nunca deixei de pensar no meu blog, meu coração pedia pra eu voltar...
E seguindo os ensinamento do sábio Raul Seixas: "Nunca é tarde demais pra começar tudo de novo."
Então, estamos aí de volta na blogosfera...

Eu estou pronta!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visualizações

Arquivo

Categorias