Reaproveitamento de vidros

Eu já postei algumas ideias do que fazer com os vidros de conserva e você pode ver aqui e aqui. E hoje volto a falar na mesma ideia, mas não é por falta de criatividade, é que eu acho muito útil reutilizar os potes de vidro e eles ficaram tão lindinhos que quis compartilhar com você.
Prometo mostrar outras coisinhas que já fiz com potes de conserva, tipo uma lanterna de jardim e potes para guardar botões e linhas.
Vamos às fotos:

 1- Eram vidros de tomates seco, foram higienizados.

 2- As tampas receberam três demãos de primer para metais e mais três demãos de tinta.

 3- Etiquetas de vinil e lacinhos de cordão de sisal

 4- Castanha-do-pará (ou castanha-do-brasil - você sabia que esta castanha mudou de nome? Veja esta matéria do Estadão a respeito) + cramberry + amêndoas

5- Caixinha cut para acondicionar os potes e pronto, virou um presente personalizado e Handmade.

Mercadão - "os olhos da cara"




Depois das compras na região da Rua 25 de março, a pedido meu, fomos almoçar no Mercado Municipal de São Paulo, mais conhecido por Mercadão, o erro começou por aí....
Gente, eu conheço o Mercadão, já fui várias vezes, sabia que a região estava lotada, portanto, o Mercadão também estaria. O que eu tinha de fazer naquele local, me fala?

Sei também que tudo "custa os olhos da cara", que os preços são uma "facada" e que não se pode comprar nada ali. O passeio é pra comer e comprar algo muito essencial, caso contrário, você vai deixar as suas calças por lá.
E mesmo sabendo de tudo isso, logo na entrada, fui abordada por um vendedor de frutas, que foi me empurrando umas delícias: "experimenta a fruta chocolate". Cortou uma tâmara ao meio e recheou com meio morango. Gente, que delícia era aquilo.... Depois me deu um pedaço de atemoia e disse que era a "fruta com sabor de leite condensado", em seguida, pigou gotinhas de limão siciliano. Sabe o que ficou parecendo?  Uma mousse de limão. Provei ainda um tal de "kiwi banana", bom também, e por fim degustei um pedaço de abacaxi, cujo nome não me lembro, que era uma delícia, bem docinho.


Depois desta comilança toda, me deixei ludibriar e trouxe pra casa uma porção de morangos com tâmaras, quatro kiwis e duas atemoias, pela "bagatela" de R$180,00.
Pelo amor de Deus, o que tem nessas frutas, ouro? Falei pro vendedor, que queria me empurrar um abacaxi mirradinho pelo preço de R$ 38,00, "tá louco, com este preço faço feira o mês inteiro".
Tá certo que o local é turístico, mas tenha paciência, o dinheiro do turista é igual ao de todo mundo, pra que essa exploração?
Estou me desabafando porque fiquei muito chateada comigo mesma; eu fiz tanta economia na hora de comprar as coisinhas pro aniversário da minha filha e de repente, gasto esta fortuna com meia dúzia de frutas. Como diz o meu marido, que ficou de longe observando, "o seu barato sempre sai caro".
Para finalizar, peço que tomem cuidado e que não façam igual a mim que fiquei com vergonha de devolver tudo. Fica a dica.


Rua 25 de março - a tentação das mães festeiras



Como eu disse no post anterior, aproveitamos o feriadão de 'Corpus Christ" e fomos pra São Paulo. O propósito de minha ida à capital era comprar algumas coisas para o aniversário da minha filha, Aimê, que será em setembro e como a maioria das meninas que faz aniversário este ano, escolheu o tema do filme Frozen.
Quem me segue no Pinterest, sabe que há algum tempo venho pesquisando o assunto. Então fui em busca de novidades.
Foquei tanto no aniversário que nem ''dei bola" para as roupas e acessórios do Brás. Meu destino era a região da Rua 25 de março. E pra lá fomos (meu marido e filha foram também) duas vezes. Uma no final da tarde de sexta-feira e outra no sábado de manhã. Ambos os dias, as ruas e lojas estavam lotadas, impossível andar sem esbarrar em alguém.
Na verdade, as compras se concentraram na Rua Cavalheiro Basílio Jafet - a tentação das mães festeiras. É nesta rua que se concentra o maior número de lojas especializadas em festas e fica na região da 25 de março.


Comprei as embalagens acrílicas e aviamentos para enfeitar as lembrancinhas.
Foi impossível entrar nas lojas mais populares, como a Armarinhos Fernando, Camicado Festas e Matsumoto.
Minha primeira parada, foi por acaso, enquanto eu "goiabava" na Camicado Presentes, meu marido avistou um dos itens da minha lista: um potinho da Plasútil. Subimos uma escadaria e me encantei com a loja, pequena, mas bem recheada e com preços ótimos. Trata-se da Macedo, lá eu comprei 50 unidades de um pote de 180 ml da Plasútil com a estampa dos personagens principais do Frozen, que custou R$ 2,20 cada. Esta loja fica bem ao lado da Camicado Presentes.



Estive na Festa Já, embora a loja seja grande e diversificada, o local estava impossível de se movimentar, então, desisti e não comprei nada.
Seguindo os conselhos e dicas da Keli, do blog I love Valentina, onde ela disponibilizou um Guia da 25 de março, estive na SP Deccor, Marcelo Artesanatos, Jamil Botões, todos localizados em sobrelojas, cujos endereços estão logo abaixo. Na Rizzo Embalagens, da Rua Cantareira, acabei comprando a maioria dos acrílicos para personalizar. Também dei uma passadinha no Santa Cecília Armarinhos.

Na Rua Comendador Abdo Schahin, visitei dois endereços: um é a Becel, loja que sempre vou pra comprar aviamentos, e onde encontro de tudo e, o mais importante, sou bem atendida. Ela fica na rua paralela com a Rua 25 de março. A outra loja é a Colore, loja de pedrarias e acessórios.
Você que está lendo deve estar me achando louca, mas eu preciso ver, processar, pra depois comprar. Tudo bem, meu marido também acha que eu sou doida.
Tá, pode falar, pelo sufoco que eu passei, eu comprei pouco, eu sei disso. Mas diferentemente de outras vezes, voltei pra casa arrependida de só não ter comprado uma coisa (só uma).
Para quem gosta e tem coragem de enfrentar o "vuco vuco", segue abaixo os endereços visitados:










Parada para o almoço


O feriado e o final de semana prolongado foi agitado...
Fui para a capital, São Paulo, com a família, juntando o útil ao agradável. O marido precisava fazer compras para as lojas e a Aimê e eu queríamos passear e gastar um pouquinho.
Mas a minha intenção mesmo era dar uns "bordejos lá pro lado da Rua 25 de Março" e consegui.
Mas bem antes de chegar à região de compras mais famosa do Brasil, paramos pra comer bem e dar alegrias aos olhos...
Estou falando do Restaurante, Café e loja de móveis e decorações Camponesa - O Parmegiana!, localizado em Pardinho-SP, na Rodovia Castelo Branco, Km 198.
Há quatro anos conheço o local e sempre que vamos a São Paulo, na ida ou na volta, ficamos tentados a comer o filé à parmegiana mais gostoso que já provei.
O local é bem aconchegante, rústico e sofisticado ao mesmo tempo. O cardápio é variado, mas o carro chefe é o "parmegiana", que é servido com um arroz branco divino e uma porção bem generosa de batata frita tipo chips.
Anexo ao prédio foi construída uma suntuosa loja de móveis e decorações, com artigos artesanais diversos: madeira, ferragens, louças, tapeçaria, patchwork, e muitas outras coisas lindas.
Além disso tudo, também tem uma cafeteria, para lanches rápidos e venda de guloseimas caseirinhas: biscoitos, cucas, pães, doces, geleias, ...
Vale a pena dar uma paradinha na Camponesa, nem se for só pra conhecer, mas atenção, chegue cedo, em finais de semana e feriados há filas de espera.
Caso queira, há possibilidade de reservas através do site e Facebook.
O preço disso tudo não é o dos mais baratos, mas a qualidade dos produtos compensa.
Este não é um post de propaganda, não tô ganhando nada com isso. Só fiz porque gosto do local, como gosto também do Alameda Quality Center, em Bauru e dA Quinta do Marquês, em São Roque, que possivelmente vai ganhar um post aqui algum dia.

sugestão: salada italiana e filé mignon à parmegiana




Pipoca Doce


Junho chegou e este mês combina muito com pipoca!
Para receber este mês que eu adooorooo, já coloquei as minhas bandeirinhas na porta e aumentei o estoque de pipoca em casa.
Eu sei que pipoca salgada todo mundo sabe fazer, mas pipoca doce não é todo mundo que sabe. Por isso, resolvi dar as dicas aqui.
Vamos lá:

É essencial ter um pipoqueira, caso contrário, você não vai conseguir mexer, os grãos vão queimar e a pipoca amargar (até rimou).
Os ingredientes são simples, mas devem ser medidos sempre na mesma quantidade, com exceção do óleo.

01 medida* de milho para pipoca
01 medida de água
01 medida de açúcar
1/2 medida de óleo
corante alimentício (opcional)
* para medir eu uso uma xícara de café, que rende uma pipoqueira quase cheia.

Esta receita é de família, eu a faço desde criança, mas há pouco tempo diminuí, por conta própria, a quantidade de óleo, pois hoje há uma grande preocupação com a saúde e antigamente não se pensava muito nisso, e minha mãe enchia a nossa pipoca de óleo. (Pausa para lembrança: lembro que o meu pai fazia pipoca salgada, depois derretia manteiga e jogava por cima _ hummm)

 Coloque todos os ingredientes no fogo e mexa com uma colher de pau, até os líquidos secarem e o milho começar a estourar. Demora um pouco, mas tenha paciência porque vai ficar uma delícia. Quando começar a estourar, tampe a panela e continue a mexe, sem parar, e abaixe o fogo para não queimar o açúcar. Esta etapa é importante para caramelar toda a pipoca.

 Quando parar de estourar, desligue o fogo e retire da panela. Coloque numa vasilha e espere esfriar, se puder.


Pronto, sua pipoca doce caramelada esta prontinha para ser devorada.

Ps. você pode ver a pipoca doce com corante aqui e as bandeirinhas aqui.
bjk.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visualizações

Arquivo

Categorias